domingo, 23 de maio de 2010

O doce desejo da tentaçao!


Divago entre pensamentos quando foi a última vez que sentir este desejo mesmo sem conhecer: o toque, o sabor, o calor do corpo de alguém. O brilho dos teus olhos dão-me arrepios na pele, tremo ao sentir a presença do teu olhar sobre mim, a sensação de pele de galinha decorre da minha nuca até bem no fundo das minhas costas. Olho mais uma vez para ti e a tua mão toca a pele que eu gostava de tocar com a minha própria mão, sentir a textura, sentir o calor. Perante este pensamento, sinto os mamilos a ficarem rijos sob o tecido do sutiã, respiro fundo e tento alcançar a tua mão, quero sentir a força dela, tenho que sentir o calor dela passar para a minha própria mão, toco-lhe levemente e Olho nos teus olhos e vejo desejo, humedeço os lábios com a língua sem segundas intenções, mas a minha mão já se apoderando da tua, desenhando pequenos círculos nela. Elevas os teus lábios com um sorriso maroto, e derreto me com a ideia de beijar esses lábios carnudos, lamber, trincar…. “BEIJA-ME Por favor” essas palavras ecoam na minha cabeça e sinto-te bem mais perto de mim, uma mão a acariciar a minha anca e a puxar me de encontro ao teu peito, suavemente puxas a minha nuca de encontro a ti, onde olhos os teus lábios mais perto dos meus, ouço as nossas respirações ofegarem e o doce beijo acontece… doce, suave, gentil, que sem dar conta se torna faminto, um beijo necessitado. A tua mão desce lentamente as minhas costas pousando directamente no fundo e encostas me directamente ao teu corpo, sinto te excitado contra mim. Perco a paciência e dou lugar a urgência de sentir alívio sobre o fogo que despertou sobre mim, e que -me queima de necessidade por quer sentir a tua pele de encontro a minha. O beijo começa a diminuir e começo a tirar te a camisola, ainda com as mãos tremulas, As tuas mãos entram em contacto com a minhas costas entre a minha camisola e a pele, arrepiando me de prazer. Já sem camisolas a atrapalhar, sinto a tua boca a beijar me o queixo, a subir o maxilar, de encontro ao meu ouvido onde sussurras enrouquecido:”DESEJO-TE”. Continuas o teu pequeno trilho de beijos sobre o meu pescoço, arrepiando me cada vez mais, fico imóvel perante enorme desejo de querer cada beijo teu no meu corpo, desces a alça do sutiã e continuando sem parar de beijar o meu corpo, que estremece a cada beijo e cada lambida da tua língua, retiras o sutiã, e sinto a necessidade de te tocar, mas sinto as tuas mãos prenderem as minhas e deixo me deleitar pela tua língua, que começará a traçar uma linha de saliva bem perto do meu mamilo teso de prazer, começo a gemer, trincas o meu mamilo e gemo ainda mais... “Mais” peço eu embebida do meu desejo. Seguro na tua cabeça e deixo me levar pela tua língua, e pelas tuas mãos nas minhas costas e no meu rabo, quero sentir o calor do teu corpo no meu, o meu clítoris estremece por cada lambida da tua língua marota, no meu peito tentando descer até a barriga. Começo a tremer, e não aguento as minha pernas, deitas me no chão e tiras me a saia, prendes me os pés sobre o teu peito, e olhas para mim, o sorriso maroto desenhado na tua cara, deixa me sem folgo. Começas por brincar com os meus tornozelos, desenhando algo sem significando, subindo lentamente pela minha perna até ao joelho, começas a abrir as minhas pernas. Reparas na minha tanga encharcada, e não resistes, tens que lhe tocar…. Um dedo maroto segue em direcção a minha cueca molhada, mal sinto o teu dedo perto de mim, gemo com a necessidade de mais…. Coloco a minha mão sobre a tua, onde a cueca tapa todo o acesso do teu toque directo… guio te para dentro dela, onde te deparas com o meu desejo por ti. Sem deixar de olhar-nos-olhos o tempo todo, com as respirações aceleradas ao rubro, voltas a beijar me com mais desejo, onde continuas a brincar com o meu clítoris e eu tento alcançar consolo no calor do teu corpo, e sinto o teu dedo a preencher me, hummmmmmmm , continuas a beijar o meu pescoço ate o meu peito, sinto a tua língua no meu mamilo, os teus dentes trincam suavemente o botão teso. Contorço me debaixo de ti com a sensação do meu orgasmo a chegar, continuas a circundar o meu clítoris, começo a pedir te mais…. Maisssss maisssssssssss , desta vez tricas o outro mamilo com alguma mais força, e eu caio em espasmos, gritando….o orgasmo chegou sem avisar e retirou me o folgo, a respiração… Acaricias me o cabelo e beijas me a testa, o nariz, e a boca…. Ainda me custa respirar, mas queria chegar até o botão das tuas calças, deteste me de o fazer, e disseste me ao ouvido: “shhhh, hoje não…. Não temos tempo….”.

Sem comentários:

Enviar um comentário