terça-feira, 13 de julho de 2010

A sede do desejo

O meu corpo voltava a tremer de antecipação só de pensar em ti dentro de mim novamente, morria de desejo só de pensar em chupar-te mais uma vez, sugar o teu caralho bem fundo na minha boca, o teu gosto agridoce deixava a minha boca com mais saliva. Tremia ainda mais só de pensar nos teus lábios nos meus mamilos, os teus dentes a torturar os meus botões. A minha racha humedecia com os pensamentos que tinha sobre nos.

Precisava de ti novamente, desejava te com todo o meu corpo e alma, o meu corpo pedia cada vez mais atenção, chegaste e beijas te me com todo o teu corpo a pressionar me, senti o teu corpo duro contra mim, e dei me conta do teu caralho sobre o meu corpo, estavas duro e deixaste me a suspirar sobre a tua boca, completamente em êxtase de desejo e cada vez mais excitada e agoniada pelo calor se desprendia do teu corpo…. Senti as tuas mãos puxar me o cabelo na nuca e gemi de desejo mais uma vez… precisava de te sentir mais e pressionei me ainda mais sobre ti, os mamilos estavam doridos de tesos que estavam pediam atenção a gritos, e eu gemia mais sobre os teus lábios. Com as mãos tremulas de desejo comecei a tentar desapertar as tuas calças e prendeste me os braços, protestei, mas quando senti que me prendias as mãos atrás das costas suspirei de surpresa e olhei te suplicante que não o fizesses. Sorriste e disseste me ao ouvido “hoje és apenas minha e estas ao meu dispor….” As tuas palavras cheias de ideias pecaminosas desceram sobre a minha espinha levando me a uma tortura agoniante, pensei por minutos que morria de antecipação. Não faço ideia de onde saíram as algemas, ou de como me prendeste os pulsos, mas estava perdida. O teu cheiro deixava me perdida, e tudo o que conseguia pensar era ter o teu corpo nu sobre o meu, pele com pele… Já me custava respirar só de pensar no que poderia acontecer… A tua boca procurou a minha, os teus lábios firmes e com promessas obscenas, deixando me em transe, completamente perdida… as tuas mãos firmes sobre os meus ombros pressionando me contra o teu peito… beijavas me o queixo e gemia cada vez mais descontrolada sobre a tua boca, as mãos presas sem conseguir tocar te, só o teu calor deixava me tonta, completamente desorientada e com todo o meu corpo a morrer de desejo. Sentia impotente sobre a pressão dos teus beijos, queria te agarrar contra mim, choramingava a cada beijo teu… sussurras te me ao ouvido “ queres lamber me o caralho?” tremi ante o pensamento de ter o teu caralho na minha boca… olhei te desesperada e disse que sim com a cabeça. “ Ajoelha-te…” disseste-me suavemente, e logo estando com os olhos na tua braguilha, o teu caralho protestava por libertação, conseguia sentir o teu próprio desejo, quando o teu caralho saltou em liberdade, simplesmente te lambi e senti te tremer. Tinha as coxas molhadas pela minha própria humidade, morria de desejo, queimava me a pele, sentia os mamilos a doer de tão excitados que estavam, e o clítoris estava dormente por atenção. A tua mão acariciou me a cara e olhei te nos olhos, olhar de desejo estampado na tua cara, estavas duro e quente para mim quando te senti na minha boca, os teus dedos enterrados no meu cabelo, enterravas o teu caralho na minha boca, primeiro suavemente para me habituar, começaste a enterrar mais e mais, sentia te entrar e sair da minha garganta quase sufocando-me, arrepiando me a pele cada vez mais. Os mamilos chegaram ao ponto de não aguentar mais, sentia te perto… e eu tremia de desejo, estavas prestes a te vir… gemias e continuavas a um ritmo feroz, teu sabor na minha boca, traguei ate não aguentar mais… tremia e tremia de desejo… precisava de consolo e rápido…. Ajolhaste ante de mim e disseste me ainda ofegante… “hummm agora prepara te para me dares de beber”

Sem comentários:

Enviar um comentário