domingo, 29 de agosto de 2010

Sentir-te em mim......


A oportunidade de estar contigo fugia das mãos, a ansiedade matava-me por dentro, tentando não demonstrar o que sentia, sorria, mas o corpo tremia como varas verdes. Ansiedade, antecipação, desejo, precisava de te sentir novamente, te ter nos meus braços, e saber que podia te tocar, saber que estavas comigo… A vontade de te ter sobre a minha pele, sentir o teu suor no meu corpo, ouvir os teus gemidos e grunhidos.
Quando senti os teus lábios nos meus sabia que era real, sabia que te tinha ao meu lado novamente, mas continuava a tremer…. Não tinha ideia como reagir, o que poderia acontecer, sentia o clítoris a pulsar de desejo e a agonia de te ter nu sobre mim aumentava a cada segundo. A conversa e o café fluíram de tal forma que tudo se tornou natural, mas quando já estávamos no quarto a agonia de não saber que fazer voltou e deixei te conduzir, as minhas emoções estavam mescladas pelo nervosismo, mas o desejo estava a aumentar a cada segundo, o meu corpo respondia aos nossos beijos, ao teu toque, ao teu cheiro ( o teu cheiro deixa-me doida). O teu calor envolvia me em êxtase completo, perdida no desejo, na vontade de te beijar, te lamber, saborear cada bocadinho que me oferecias. Aquecia a cada segundo contigo, o tempo parava sempre que me tocavas. Sentir a tua boca no meu pescoço, a boca a descer ate ao meu mamilo direito, a tua saliva na minha pele, apetecia me gemer e gemer, agarrar te na cabeça e não te deixar parar. Quando pegaste na minha mão e a levas te ate ao teu caralho, a água na minha boca aumentou drasticamente, não havia roupa interior por baixo das tuas calças, e naquele momento a ideia de o saborear e brincar com a língua aumentou e aumentou, ate não aguentar mais. As minhas emoções estavam a ponto de estalar, mas conseguindo evitar as lágrimas, o desejo tomou conta de mim, o teu caralho na minha mão, a suavidade da pele dele, a forma como a cabecinha se molhava, hummm quando senti a tua cabecinha molhada na minha língua estalei em calor, e humidade, a minha cona, encharcou , o clítoris pedia ainda mais atenção, mas iria esperar, precisava te saborear, ao máximo, matar as saudades do teu sabor, da suavidade, dos teus gemidos enquanto te engolia o caralho, o desejo crescia ao te lamber… a te chupar, e ouvir o te gemer ainda mais quente me deixava. As tuas mãos na minha cabeça, as minhas mãos no teu caralho, a minha língua a serpentear pela tua verga… ai… como te adoro sentir na minha boca….
Após algum tempo mais tarde onde o calor e o suor, o desejo e a agonia do prazer já em estado de rebuçado, o teu caralho sondando a entrada do meu rabo, os meus gemidos de necessidade, tentando te pedir quase por favor para me enrabares, mas sem que as palavras saíssem pela agoniante necessidade. Enquanto a cabecinha entrava e o retiravas de mim, a agonia crescia e cresciam…. “Mau…. Estas a ser mau comigo….” Matavas me de agonia, e prazer… o desejo estalava no meu corpo, os mamilos tesos continuavam a pedir atenção, as minhas mãos nos mamilos, o teu olhar faminto a olhar me nos olhos, enquanto me enterravas todo… Uma estacada, outra e outra, o ritmo a aumentar e a aumentar… a necessidade de sentir te vir no meu rabo, continuavas a aumentar e aumentar, “vem-te para mim….” Pedi eu “quero o teu leite em mim….” Senti te estalar dentro do meu cu, o teu leite a explodir em mim… deixando me extasiada pela tua libertação os gemidos do teu orgasmo na minha cabeça….

O peso do teu corpo sobre o meu, as respirações ofegantes, as palavras doces que trocamos, o nosso suor mesclado, o tempo parou…..

Sem comentários:

Enviar um comentário