quinta-feira, 24 de março de 2011

Tua...

Estava ansiosa, o táxi aumentava a velocidade e diminuía conforme fluía o trânsito, mas a minha cabeça estava a tentar entender o porque de ter aceitado o teu convite. Com as mãos trémulas lá agarrei o guardanapo, com a morada do hotel onde querias que me encontrasse contigo, a tua letra era explicita… Sem roupa interior as 17h no Motel da nacional X. não conhecia esse motel, e a ideia de estar sem roupa interior deixava-me excitada. Mal o táxi parou, arrepiei-me e senti-me tentada a voltar para casa, NÃO, eu queria te ver, tocar, mas o curvilíneo de sensações assombravam o coração e a cabeça. Pagando o táxi, respirei fundo e segui para o motel de estrada, os saltos dos meus sapatos enterravam na lama, a ideia de voltar era tentadora a imagem degradante do motel. Bati a porta do quarto que me disseste que estarias, e rezei para não me ter enganado. Ninguém respondia, tentada a ir embora, virei para ver se descobria alguém, irritada e magoada já em pânico, abris-te a porta e virando-me para ti, fiquei boquiaberta, a imagem de te ver acabado de sair do banho só de toalha, completamente salpicado de água, fez crescer água na boca… molhei os lábios e fechei as pernas na tentativa de acalmar o clítoris que pulsava só pela tua imagem. “Entra” A tua voz grossa e autoritária fez o meu nervosismo estalar… hesitante entrei no quarto, o cheiro impregnado a mofo e humidade fez me cambalear contra a parede. Agarraste-me pelos cabelos e beijaste-me com audácia e possessão, os mamilos entesaram no contacto com a tua pele molhada na minha camisa de seda. Os teus dentes beliscavam os meus lábios, a tua língua varria a minha boca com precisão, o beijo fez-me derreter, não fosse as tuas mãos prender-me entre o teu corpo e a parede, teria caído. Seguraste-me os pulsos e prendendo os atrás das minhas costas, não sei o que usaste para os amarrar, com a respiração ainda ofegante, olhei-te nos olhos, e o sorriso malicioso apareceu na tua cara. Mais uma vez os teus lábios cobriram os meus, agarraste a camisa e fizeste com que todos os botões saltassem em várias direcções. As tuas mãos na minha barriga faziam me contorcer em agonia, a minha humidade escorria entre as pernas empapando as minhas coxas. A tua boca no meu pescoço mordendo e lambendo, tremia de tesão, desejo liquido corria no meu sangue, ofegava e gemia, os teus dedos beliscavam os meus mamilos…. Contorcia-me no teu agarre, subiste a minha saia ate a cintura, a tua boca sugava o meu mamilo e ferrava com fome. Procuras-te o meu clítoris entre as minhas pernas e beliscaste-o, “Hummmm Tão molhada e preparada para mim!” rocei-me contra ti na esperança de alívio, mas de nada valeu. Viraste-me contra a parede, ofeguei no contacto frio da parede nos meus mamilos, com os teus joelhos afastas-te as minhas pernas, puxaste-me o cabelo e lambeste-me o pescoço exposto, sentia a minha cona gotejar, a necessidade aumentava, um pouco mais de fricção na parede com os mamilos e teria me vindo. “Que queres?” Perguntaste tu com o dedo a sondar o meu canal, ora a cona, ora o rabo. O teu caralho húmido mesmo a provocar a minha pele, girei para tentar encontrar o teu olhar, “Por favor, fode-me”. O teu caralho entrou sem demoras bem fundo do meu rabo, berrei de dor e prazer, queimava e matava-me de prazer, contorci-me entre o teu corpo e a parede. A tua mão no meu cabelo a puxar-me, os teus dedos a provocar o clítoris, os gemidos, as estocadas, o som dos teus tomates na minha pele, os mamilos que roçavam na parede, o ritmo aumentou, contorcia-me, precisava de me vir. Seguraste-te nas minhas mamas, e aumentavas o ritmo para a tua própria libertação, beliscando os meus bicos, foi o que precisava para sentir me no auge… berrei junto ao teu berro de prazer, o teu leite quente no meu canal, a tua pele arrepiada nas minhas costas. Os teus dentes desceram para a minha garganta mordendo e lambendo… Sim sou tua… pensei para mim…

11 comentários:

  1. uau estás imparável. Impróprio para cardíacos este blog hummm

    ResponderEliminar
  2. Eroticamente (In) Correto, ainda bem que estas a gostar.... kiss kiss...

    bomamigo ainda espero aquecer mais.... e que adores ainda mais...
    kiss kiss

    Foxos, imparável??? parar é morrer... e só faz bem ao coração um pouco de agitação... :D
    nada que um pouco de prazer e desejo nao ajude..
    um enorme beijo...

    ResponderEliminar
  3. voce desperta a curiosidade de quem explora o campo do eden...rs

    ResponderEliminar
  4. Amigo.... a curiosidade é para ser explorada, por isso há muito para ser explorado neste campo do Éden...
    Muito bem vindo ao meu Paraíso.
    kiss kiss

    ResponderEliminar
  5. Continuas quente. Os teus textos são sentidos ao pormenor.
    Beijos

    ResponderEliminar
  6. Gostei do que li...voltarei, certamente, a voar até aqui!!!



    beijo

    ResponderEliminar
  7. Sammael.. Bem vindo... Voa livremente neste paraíso... terei todo o gosto de te ver voar por estes campos de tentação...
    kiss kiss

    ResponderEliminar
  8. Já escrevi, apaguei, escrevi, apaguei uma infinidade de vezes.
    Numas coloco palavras muito duras, noutras muito doces... Não quero ofender!
    Brilante, numa só palavra!

    Beijos

    DF

    ResponderEliminar